Quando o tempo é ingrato...

whitney-houston-the-bodyguard Whitney Hounton é umas das celebridades mundiais com uma vasta história de altos e baixos entre relações conturbadas, drogas e baixas na carreira. Sua voz potente e magnífica sempre cuidaram de recolocá-la em seu lugar já marcado no mundo da fama. E, claro, ela é digna do mérito que conquistou.

Tem em sua carreira grandes sucessos musicais e alguns filmes, e no conjunto da obra, a fase mais marcante foi quando estrelou "O Guarda-Costas", ao lado de Kevin Costner, que consagrou a música "I Will Always Love You". Também é uma importante compositora e produtora teatral e musical, já recebeu mais de 400 prêmios e vendeu mais de 190 milhões de discos. Não é a toa que o apelido da ilustríssima é "The Voice"...

Recentemente ganhou destaque entre o público brasileiro quando sua canção mais recente "I Look To You" virou tema de amor de Luciana e Miguel, na novela Viver a Vida, e também ganhou as platéias do mundo todo com uma volta um tanto admirável ao estrelato.

Whitney continua impecável e surpreendente. Mas agora deixemos a admiração de lado por alguns segundos... Se levarmos em conta que a cantora ainda está na faixa dos 46 anos, esperava-se vê-la envelhecer melhor... Claro que a ingratidão do tempo foi uma consequencia de suas estripulias mundanas (e quem não as comete?!), mas o mais chocante é notar que sua voz também sofreu um pouco as injustiças do relógio... Se você ouvir por exemplo "Run to You", sucesso dos tempos de "O Guarda-Costas" e em seguida concentrar-se em "I Look to You" pode ter a sensação de que a voz dela também envelheceu... É até uma percepção meio estranha (e injusta de nossa parte, já que não poderíamos esperar que ela conservasse sua voz eternamente jovem...), mas é fato...

Ainda assim, Whitney é digna de salvas de palmas em todo o mundo e continuo sendo sua fã. Ontem, hoje e sempre!

.
.
.



0 comentários:

Related Posts with Thumbnails
.
Aqui você encontra
Comunicação, música, cinema, arte, publicidade, literatura, entretenimento, mundo e outros devaneios...
.
.
A loucura é uma ilha perdida no oceano da razão.
(Machado de Assis)
.
.