Supernatural e Fringe – Os 20’s

imageE se em Supernatural a coisa continua pegando fogo, em Fringe a temperatura que vinha tomando conta dos últimos episódos esfriou….

Vimos Sam e Dean continuar a caçada aos dois cavaleiros que ainda restam com direito à importantes revelações e Cães do Inferno, enquanto Fringe saiu da linha de raciocínio para apresentar um episódio doce e metafórico que agrada aos despretensiosos, mas quebra a energia que vinha delineando a reta final da temporada.

 

Supernatural – 5.20 – The Devil You Knowimage

No último episódio Sam e Dean tiveram a revelação de que com os anéis dos quatro cavaleiros do apocalipse poderiam aprisionar Lúcifer de volta à sua jaula. E essa semana retomamos a aventura com os Winchester atrás da Peste.

Eis então que surge um velho conhecido para ‘ajudar’ na caçada: Crowley. Lembra dele?

Dessa vez o demônio quer ajudar os Winchester para livrar seu próprio bumbumzinho da reta, já que ele tem tantas contas para acertar com o Satanás que tudo o que menos quer é o seu domínio perante o apocalipse. Mas para os Winchester essa ajuda terá um preço consideravelmente alto…

Crowley não sabe dizer onde a Peste está, mas conhece o demônio que pode dar essa informação: Brady, uma espécie de agente dos quatro cavaleiros. E se Sam não confia nem um pouco nas histórias e teorias de Crowley, Dean está tão engajado em chegar ao fim da batalha que começa a considerar suas possíveis verdades. É assim que ele acaba na armadilha armada por Crowley para atrair Brady.

O demônio-da-ficha-suja disse ao Winchester que somente ele poderia convencer Brady a ajudá-los em troca dos anéis dos cavaleiros mortos que o agente desejava recuperar. Mas a história não passava de uma mentira para pegar Brady, já que tudo que o loirinho queria era vingança pelos Winchester terem exterminado os dois cavaleiros.

Uma pena que Dean só descubra isso depois de tomar muitos sopapos de Brady.

Mas é então que vem a notícia bombástica. Percebendo que Corwley insiste para Dean não levar Brady até o local onde Sam os aguarda, Dean coloca o demônio na parede e exige uma explicação. E a justificativa fica clara quando Sam bate os olhos no agente: Brady era o melhor amigo de Sam antes dele deixar a faculdade por vingança. A pergunta era: desde quando Brady era um demônio? E é aí que está a grande revelação: desde o segundo ano da faculdade, antes mesmo de Brady apresentar Jess ao Sam.

Tudo não passava de um plano do Olhos Amarelos para o predestinado Sam. Percebendo que o garoto estava tomando o caminho certinho, eles precisavam atrair seus instintos, e colocar Jess na parada para depois eliminá-la foi o plano perfeito para trazer Sam de volta ao mundo dos demônios sem que ele percebesse que tudo era uma grande armação.

Por fim, o plano de Crowley não fez Brady abrir a boca sobre a Peste, então ele teve de mexer alguns pauzinhos para sujar a ficha do agente e garantir que ele seria torturado pela eternidade ao seu lado durante o reinado de Lúcifer. E enquanto dá essa notícia à Brady, surgem outros de nossos velhos conhecidos: Cães do Inferno!

O simples uivo já fez arrepiar a espinha de quem acompanha o seriado. A última vez que os temidos cães apareceram foi no traumático episódio final da 2ª temporada, quando levam Dean para o Inferno. Dessa vez, Crowley age rápido e traz um de seus ‘filhotes’ para confrontar o mensageiro da morte, e presenciamos uma briga feia entre os cães. O mais interessante foi notar como uma briga invisível pode ser tão ou mais angustiante do que aquilo que podemso ver.

A trupe então foge enquanto há tempo e Brady acaba por revelar o paradeiro da Peste, sendo finalmente exterminado por Sam, que se vinga por ter sido enganado há tanto tempo.

E quando a gente pensava que o pior do dia já tinha acontecido, Crowley vai atrás de Bobby (que no início do episódio, depois de convencer Dean na semana passada a desistir do temeroso “Sim”, dessa vez precisou dar um sermão contra o “sim” de Sam). Ele sabe que apesar dos irmãos estarem atrás do terceiro cavaleiro, ainda terão de encontrar a Morte para possuir os quatro anéis que dão acesso à jaula de Lúcifer e propõe a Bobby que se adiantem para ajudar os rapazes. Seu preço, entretanto, é muito alto: o empréstimo de sua alma!

Ufa! Fim de temporada em ritmo crescente e sem parar! Essa episódio foi eletrizante, cheio de revelações e abrindo portas para muita coisa acontecer antes do apocalipse se concretizar. Mas acho que o mais bombástico foi a idéia de Sam ser realmente o predestinado, antes mesmo de qualquer um de nós imaginar, desde o dia em que sua mãe foi morta e o Olhos Amarelos deu as caras no berço do Winchester….

 

Fringe – 2.20 – Betty Brown

imageE se em Supernatural a coisa pegou fogo, alguém jogou um balde de gelo em Fringe…..

Todo o ritmo crescente e a sintonia em conseguir mesclar casos soltos da divisão Fringe com a trama principal da série foi por água abaixo com “Betty Brown”.

Claro que, olhando como um episódio ‘avulso’ foi sim um bom capítulo. Muito divertido, por sinal, repleto de metáforas, o clima sombrio dos suspenses policiais e toques de musical. Mas no conjunto da obra, em plena reta final de temporada, melou o caldo….

O enredo: Olivia precisa deixar a sobrinha, Ella (fofíssima!) aos cuidados de Astrid e Walter enquanto segue uma pista sobre o paredeiro de Peter. E Walter, sob efeito de Maconha, resolve contar uma história à Ella a pedido da garota. O que ele conta é uma incrível transformação do mundo real em linguagem metafórica sobre a história de uma detetive famosa que só pega casos de corações partidos. A detetive é Olívia, que envolvida numa sinuosa trama para encontrar um perigoso Peter Bishop vai descobrir muitos segredos obscuros, entre eles a verdade sobre Walter, o homem que a contratou para encontrar seu auxiliar de laboratório (Peter). O Dr. Walter é um grande cientista, criador de todas as coisas maravilhosas do mundo (chiclets, arcó-íris e abraço estão em seu portfólio!), mas suas criações são, na verdade, os sonhos roubados de crianças que passam a ter pesadelos todas as noites. E por que o Peter é tão importante para ele? Porque possui o coração de vidro que pode mantê-lo vivo, sendo que na realidade é Peter quem nasceu com ele e precisa dele para sobreviver.

Detalhe bem a mistura tecnológica do episódio, com elementos do passado e do futuro dividindo a mesma cena e criando um novo conceito de arte temporal. Muito interessante.

No fim, a versão de Walter da história termina tragicamente, e é Ella quem lhe dá uma grande lição e contrói o final com o “felizes para sempre”.

O pessoal deu conta direitinho da parte musical (mas o que era aquele coro de cadáveres? Bem a cara das loucuras do Walter mesmo… rs) e as emoçõesindividuais foram ressaltadas em muitas entrelinhas. Quem acompanha a série desde o início identificou todas elas, o que, aliás, foi uma das tarefas mais envolventes do episódio.

Mas foi uma pena ele ter saído do trilho de continuidade na trama… Mesmo que o próximo retorno do ponto final no enredo, a quebra já esfriou um pouco a reta final. Tomara que o próximo consiga dar conta do recado para recuperar o brilho….

2 comentários:

Adelson (TD Séries) 3 de maio de 2010 23:26  

Olá, Letícia!

Concordo plenamente com seus comentários! Enquanto Supernatural continuou aumentando nossa expectativa para o clímax do final da temporada, Fringe simplesmente deixou tudo de lado para mostrar um episódio engraçadinho.

É como você disse: como um episódio avulso, até que foi divertido. Mas, para mim, foi um grande erro exibi-lo a essa altura da temporada. Talvez estivesse faltando história para preencher os últimos episódios.

Espero que esta semana ambos os seriados voltem com tudo!

Um abraço!

Letícia 4 de maio de 2010 00:12  

Oi, Adelson!

De pleno acordo! Supernatural pode não ter tido uma supertrama nesse episódio, mas só a revelação de BRady já serviu para apimentar todo o enredo!
Já Fringe tirouo pe do freio e corre o risco de não chegar à reta final com o gás que esperávamos....

Vamos aguardar para ver o que os roteiristas nos reservam.... MAs pelo andar da carruagem, estou achando que "O" Deus não vai aparecer... Nem William Bell... Pelo menso não nessa temporada...

Obrigada pela visita!

Um grande abraço!

Related Posts with Thumbnails
.
Aqui você encontra
Comunicação, música, cinema, arte, publicidade, literatura, entretenimento, mundo e outros devaneios...
.
.
A loucura é uma ilha perdida no oceano da razão.
(Machado de Assis)
.
.