Elas novamente…

midia-indoor-taylor-swift-cantora-country-americana-1288874793329_615x300Ela, Taylor Swift.... Ela, a escrita.....

Através de uma ótima comparação de duas ‘nomeações’ que andam muito em alta, Taylor Swift mostra o quanto a escrita pode ser uma válvula de escape para aprendermos a lidar com os próprios problemas…

Confira a matéria publicada no New York Times…

 

"Novo disco tem canções nas quais falo antes que seja tarde demais", diz Taylor Swift sobre "Speak Now"


Enquanto Taylor Swift lança seu terceiro disco, "Speak Now", a estrela do country ainda está ligada ao incidente no MTV Video Music Awards do ano passado, quando teve seu discurso de agradecimento interrompido por Kanye West. Swift teria muita atenção mesmo sem a "ajuda" do rapper, graças às realizações inegáveis de sua carreira.

Com apenas 20 anos, ela já tem outros dois álbuns em sua discografia, vendeu mais de 13 milhões de cópias em todo mundo, emplacou 11 singles de sucesso e ganhou quatro prêmios Grammy. A revista "Forbes" até mesmo a classificou como as 12ª celebridade mais poderosa do mundo.

Mas o incidente na premiação da MTV, quando West insistia que era Beyoncé quem realmente merecia o prêmio de melhor vídeo feminino, ainda dá o que falar. Por isso ela tratou do assunto em uma canção: em "Innocent", que ela estreou este ano no mesmo VMA, ela diz a West que ele tem "32, mas ainda está crescendo", e acrescenta caridosamente que "o que você fez não representa quem você é".

"Minha tendência é escrever sobre coisas que têm um impacto emocional imenso em mim", diz Swift, falando por telefone de Nashville. "Ao compor essa música, levei um tempo para reunir todos os pensamentos, filtrá-los e processá-los. Ás vezes é assim que a música realmente me ajuda a entender a vida, e foi o que aconteceu com 'Innocent'".

Swift acrescenta que ela se sentiu "muito grata" por apresentar a canção no VMA. Mas, fora isso, ela permanece calada sobre o assunto, citando um pedido de desculpas pessoal de West, que ela recebeu pouco depois do incidente original. "Eu me esforcei bastante e fiz o melhor que pude para não falar sobre esse assunto", ela diz suspirando, "porque realmente é uma longa história. E eu não quero tomar tanto seu tempo".

Compor para lidar com problemas

"Innocent" é um microcosmo do que a música significa para Swift, e o que significa desde que ela começou a compor canções enquanto crescia em Wyomissing, Pensilvânia. "Escrever sobre minha vida, meus problemas e pessoas que me fazem sentir emoções intensas começou quando eu tinha 12 anos", ela recorda, "quando eu passava por dias solitários na escola e dizia a mim mesma: 'tudo bem, depois eu posso compor uma canção a respeito disso'".

Para Swift, compor é seu jeito de lidar com problemas. "É como eu sempre lidei com as questões. Sou grata por poder escrever sobre minha vida, isso me ajuda a entender como me sinto a respeito das coisas. Emoções podem ser tão complicadas e, quando transformo em música, aquilo se torna simples e posso processá-lo. Posso sentir que qualquer dor valeu a pena, porque seu destino era se tornar aquela canção".

As 14 canções de "Speak Now" narram um período dramático na vida e carreira de Swift. Enquanto seu álbum de estreia autointitulado de 2006 progrediu gradualmente para um sucesso de quatro discos de platina, "Fearless" (2008) foi um monstro de seis discos de platina que se transformou no álbum mais vendido do ano e ganhou o Grammy de álbum do ano. E transformou Swift na artista digital mais vendida, com mais de 25 milhões de downloads de canções.

E ela lidou com tudo isso de modo tão equilibrado que alguns especularam, de brincadeira, que ela na verdade tinha muito mais do que 20 anos. "Nunca fui presunçosa a respeito do sucesso", diz Swift, que quis ser cantora desde os 6 anos, quando ouviu pela primeira vez LeAnn Rimes. "Meus pais me criaram para acreditar que você precisa trabalhar para tudo o que você quiser na vida, e nunca presumir que você terá o sucesso com que sonha".

Mas suas canções iluminam alguns dos momentos mais sombrios que ocorreram após o sucesso. "Speak Now" traça os dois anos desde o lançamento de "Fearless", tratando não apenas do incidente com West, mas também dos relacionamentos altamente noticiados de Swift --mais recentemente com o ator Taylor Lautner, com quem ela apareceu no filme "Idas e Vindas do Amor" (2010)-- e outros eventos em sua vida.

"[O álbum] trata dos últimos dois anos, quando a vida ficou um pouco maior e mais frenética, fazendo com que toda emoção que eu sentisse parecesse intensa, seja alegria, celebração, perda, dificuldades. Foram dois anos realmente belos, mas também aconteceu muita coisa nos bastidores sobre as quais escrevi, sobre as realizações, lições, confusões, dores e todas as coisas diferentes que acompanham ter 18, 19 e 20 anos".

Biografia musicada

Ela reluta em entrar em detalhes sobre os temas das canções. O primeiro single, "Mine", foi inspirado "quando um sujeito me abraçou à beira-mar e todo o relacionamento passou diante dos meus olhos, o que achei que poderia ser. Obviamente é uma canção de amor, mas tem alguns toques de dor e de como carregamos os fantasmas de relacionamentos fracassados anteriores para cada novo relacionamento que começamos. Você vive em medo constante de que acabará da mesma forma que os outros, sempre em um adeus".

"Better Than Revenge" é sobre "uma garota que roubou meu namorado", ela prossegue, enquanto a faixa que encerra o álbum, "Long Live", "reflete os dois últimos anos malucos da minha vida e a alegria e celebração que os acompanharam, assim como um pouco do medo que vem com isso, me preparando para seja lá o que vier a seguir".

"Back in December" explora um território totalmente novo em suas letras. "Essa é a primeira canção que componho sobre pedir desculpas a alguém, que merecia esse pedido. Compus em um quarto de hotel, em Nova York, e fiquei sentada lá olhando pela janela, pensando que nunca tinha pedido desculpas a ninguém por música, e que era a primeira vez que tinha acontecido, mas era o momento certo".

Swift considera "Speak Now" um álbum conceitual, estruturado em torno de um casamento, mas antes do casamento ser consagrado, quando o padre pergunta se alguém tem alguma objeção e diz para a congregação "fale agora ou cale-se para sempre". "Acho esse momento uma grande metáfora para muita coisa que passamos na vida, onde aguardamos até ser quase tarde demais para de fato dizermos o que sentimos. Este disco tem 14 canções nas quais 'estou falando antes que seja tarde demais'".

Ou, se preferir uma metáfora mais contemporânea, Swift também tem uma. "As canções são como o último e-mail que você enviaria para alguém que costumava amar. Geralmente, na sua vida, você escreve esse e-mail para desabafar, mas não aperta 'enviar', né? Eu acho que o conceito deste álbum é que estou apertando 'enviar' em todos esses e-mails", compara.

"Speak Now" é o primeiro álbum em que Swift compôs todas as canções sozinha, sem qualquer colaboração, algo que é motivo de orgulho para ela. "Sou responsável por cada palavra de cada linha de cada verso de cada canção aqui", diz a cantora e compositora. "Quando eu era mais jovem, eu pensava: 'não seria legal algum dia compor um álbum totalmente sozinha?' Eu achava que aconteceria algum dia, mas não imaginava que seria tão cedo".

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails
.
Aqui você encontra
Comunicação, música, cinema, arte, publicidade, literatura, entretenimento, mundo e outros devaneios...
.
.
A loucura é uma ilha perdida no oceano da razão.
(Machado de Assis)
.
.