Sinfonizando Sting…

Nova ImagemSting sozinho já vale o valor do ingresso para uma de suas apresentações. Agora imagina a atual turnê do astro, intitulada “Symphonicity”, em que ele apresenta seus maiores sucessos com arranjos ‘sinfonizados’…

Outras bandas de rock já experimentaram a experiência (podemos citar, só para começar os exemplos, Aerosmith, Scorpions e Metallica)…

O próprio Sting já havia se aventurado anteriormente ao misturar composições harmônicas em algumas de suas canções, mas a idéia agora foi ousar completamente. O resultado é o álbum Symphonicities e a Symphonicity Tour…

Os inspirados novos arranjos sinfônicos ficaram a cargo de um time de fazer inveja a historiadores musicais: Jorge Calandrelli, David Hartley, Michel Legrand, Rob Mathes, Vince Mendoza, Steven Mercurio, Bill Ross, Robert Sadin, e Nicola Tescari. Além de unanimidades como “Every Little Thing She Does Is Magic”; o disco inclui outras coisas da época do Police como: “Roxanne” e “Next To You” e de sua carreira solo, como “Englishman in New York”, “I Burn for You”, “Why Should I Cry for You”, “She’s Too Good For Me”, entre outras. Symphonicities foi gravado com a The Royal Philharmonic Concert Orchestra, produzido por Rob Mathes e o próprio Sting, mixado por Elliot Scheiner (Steely Dan, Fleetwood Mac) e Claudius Mittendorfer (Interpol, Franz Ferdinand). Sting chamou um grupo convencional composto por Dominic Miller (guitarra), David Cossin (multi percussionista), Jo Lawry (vocal) e Ira Coleman (baixo).

O resultado surpreende, longe do pastiche cafona que os arranjos orquestrais costumam fazer no universo pop; a experiência dos envolvidos contou e sem dúvida é um show que deverá agradar muitas plateias, daqueles que você assiste e sente até o último pelo da espinha arrepiar! (Será que vem pro Brasil???)

Vale espiar a crítica de Ciro Hiruma sobre o álbum.

 

Pega os pulinhos desse maestro em Next to You…. rs

 

 

 

 

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails
.
Aqui você encontra
Comunicação, música, cinema, arte, publicidade, literatura, entretenimento, mundo e outros devaneios...
.
.
A loucura é uma ilha perdida no oceano da razão.
(Machado de Assis)
.
.