White Collar

mattBomer_236x236Um condenado por crimes de colarinho branco ajudando o FBI a capturar seus ‘concorrentes’ no mundo do crime em troca de liberdade parcial.

Some aí um protagonista pra lá de elegante, charmoso, inteligente e apaixonado, com um senso de humor único, e seu parceiro-policial-responsável com quem forma uma dupla cheia de sintonia e pronto! Agora você tem a essência do seriado e uma ótima razão para se aventurar nele.

Quando alguns amigos me falaram sobre a série, senti lá no fundo uma curiosidade aguçadinha para conferir…. Mas faz isso, faz aquilo, demorei para de fato sentar e ver o tal do “White Collar”. Só que bastou conferir o primeiro episódio que eu não consegui parar mais!!!

Neal Caffrey é o motor da história. Tudo começa com ele fugindo da cadeia, ao melhor estilo “Prenda-me se for capaz”, em busca de Kate, seu amor desaparecido. Recapturado pelo agente Peter Burke, o mesmo que o prendeu da primeira vez, ele faz uma proposta audaciosa: ajudará o FBI a solucionar os crimes de colarinho branco – no que ele é especialista – em troca de sua liberdade condicional.

A partir daí você já pode imaginar o que vem pela frente. Criminoso e policial se tornarão a dupla perfeita, com uma sintonia sem igual, que deixa as principais sacadas dos episódios ainda mais saborosas. O carisma e senso de humor de Caffrey são insuperáveis, e a única coisa capaz de tirar-lhe o sorriso encantador e irresistível do rosto é o desaparecimento de Kate (Ai, meu Deus, Adelson e Taci!! Ela vai ou não aparecer???). Burke não deixa por menos, e rende momentos hilariantes em algumas cenas. A harmonia reina na tela, misturada ao espírito investigativo que atrai qualquer um mais chegado em séries policiais. A diferença é que essa é mais leve, descompromissada, diferente do ar mais ‘hardcore’ de um Law & Order, por exemplo. Me lembra muito o espírito de Dexter, só que sem o sangue….

Os personagens secundários também não ficam por menos. Elizabeth (Thiffany Thissen – lembra dela, de Barrados no Baile?) é a esposa de Burke. Aliás, uma esposa como não existe no mundo real, daquelas mais compreensivas do mundo. E há também o fiel escudeiro de Neal, Mozzie, uma figura!

A cada episódio o enredo vai equilibrando muito bem a trama principal com os casos da semana. E dá-lhe participações conhecidas! Para quem é ligado no mundo das séries, logo no primeiro episódio o vilão da vez é o nosso velho conhecido Crowley, de Supernatural. E no terceiro quem aparece é o agente Charlie, ex-parceiro-agora-morto-e-vivo-só-no-universo-paralelo de Olivia em Fringe.

Eu assisti, gostei, me apaixonei e estou louca para terminar a primeira temporada e devorar logo a segunda também, que já exibiu até o seu décimo episódio. Recomendo! Entrou para a lista das prediletas…..

 

2 comentários:

Adelson (TD Séries) 26 de janeiro de 2011 22:05  

Olá, Letícia!

Puxa, você curtiu mesmo "White Collar", hein? Mas, realmente é um ótimo seriado! Demorei para começar a assistir, mas graças à insistência da Taci, hoje assisto todos os episódios.

Quanto à Kate... melhor você assistir mais episódios para podermos conversar sobre isso! risos

Um abraço!

Letícia 26 de janeiro de 2011 22:14  

Curti sim!!! Adorei!!

Aiiii, vou ter que ficar curiosa mais uns dias, então.. Droga!! rs... Mas vou descobrir!!

Abraço, Adelson!!

Related Posts with Thumbnails
.
Aqui você encontra
Comunicação, música, cinema, arte, publicidade, literatura, entretenimento, mundo e outros devaneios...
.
.
A loucura é uma ilha perdida no oceano da razão.
(Machado de Assis)
.
.