Primeiro parque Disney: done. Então hoje é dia de conhecer o mais novo integrante do complexo, com atrações um pouquinho mais hardcore, mas a mesma dose de magia. Bora pra Disney California Adventure Park!

Programação de hoje praticamente no repeat:
  • 07:00 – Café da manhã  
  • 08:00 – Disney California Adventure Park
  • 22:00 – Anaheim Plaza

Confere o que rolou no diário...


DISNEY CALIFORNIA ADVENTURE PARK

Despertei logo cedo, dei aquela conferida nos e-mails, tomei café e fiquei prontíssima para o segundo dia no complexo Disney. O Disney California Adventure Park nasceu em 2001 e abriga parte da história e cultura da Califórnia em suas atrações. Além, é claro, da história da própria Disney e seus filmes. Não é à toa que o parque tem seu principal cartão postal similar ao Pier de Santa Monica. Essa é a ideia.

A saída de Anaheim Plaza, chegada ao complexo de uber e caminhada até os portões foram as mesmas do dia anterior. A diferença é que hoje nos dirigimos para o outro lado da praça central, onde a decoração de Halloween já tinha tomado os portões do Adventure Park.



Entramos, pegamos nosso mapa básico e começamos a explorar... A entrada do parque também tem sua própria Main Street, que aqui recebe o nome de Buena Vista Street com saída para cada uma das áreas temáticas.

Pela primeira vez notamos um público um pouco maior que nos outros dias. E havia uma razão lógica: era sábado! Mesmo assim, as filas eram bastante humildes se comparadas à alta temporada.


Cars Land

Um amigo já tinha dado a dica de que uma das atrações mais concorridas do parque estava em Cars Land. Por isso entramos e fomos direto pra lá.

Ao se aproximas da entrada principal da área o clima musical já te laça de jeito.. E quando você acessa a via de entrada de Cars Land é im-pos-sí-vel não se sentir dentro do filme. A música, o cenário, o clima.. Tudo te transporta automaticamente para Radiator Springs! É a coisa mais encantadora...


Nosso objetivo principal era encontrar o Radiator Springs Race, que fica no final da rua. Fomos para lá e encaramos uma pequena fila. O sol estava matando, mas os ventiladores com esguichos aliviavam a espera. A atração é demais: você toma seu lugar nos carros (que obviamente são os personagens do desenho) e primeiro faz um calmo passeio pela cidade. Até que, de repente, o carro ao lado te chama para uma corrida e a velocidade toma conta das pistas com ladeiras, curvas fechadas e muito vento nos cabelos. É super legal!

Dividimos o nosso carro com um casal jovem e dois filhos pequenos, ambos meninos. Os garotos se encantaram, mas pra falar a verdade a gente se apaixonou foi pelo casal mesmo. Aquele típico casal de jovens inteiros tatuados que devem ter aproveitado a vida aos montes, mas se mostraram pais mais cuidadosos, educados e responsáveis com os meninos do que muuuuito executivo por aí. Virou parte da atração pra nós e depois ainda nos trombamos com eles pelo parque mais algumas vezes... A cada volta a mãe, que estava ao nosso lado, ficava de olho e preocupada com a reação dos meninos, que estavam na frente com o pai... Casal-fofo-modelo...

As outras duas atrações de Radiators são mais voltadas para as crianças, então resolvemos fazer o que adultos fazem de melhor: curtir a cidade como se fossemos crianças totalmente envolvidas na magia do cenário! O café da Flô e o Cozy Cone Motel são lindos. Em cada um dos cones, um tipo de alimentação diferente, mas todos em formatos de cone. E claro que no final do dia voltamos lá comer um cone de mac&cheese, hahaha...


Grizzly Peak

De lá fomos para Grizzly Peak, mas no caminho encontramos um fast pass para garantir a entrada na exibição do World of Colors, a apresentação incrível que rola a noite no lago central do parque (depois falamos mais sobre ela).

Grizzly Peak é a área mais “oeste” deste parque. Resolvemos começar com o Grizzly River Run, assim já molhava logo pra secar logo. Dessa vez escapamos amigavelmente da molhadeira... Quem sofreu foi outra pessoa no bote que carrega oito... rs. É um típico rio bravo: divertido e refrescante.

Nessa área também está o Soarin, que é um simulador em que você vivencia um voo de asa delta. Com estímulos sensoriais, a atração ainda traz cheiros e percepções que aumentam a sensação de realismo enquanto você passa pelos pontos turísticos de várias partes do mundo, inclusive nosso Errejota. Deixamos para ir nessa atração mais tarde, depois do almoço.


Pixar Pier

Saindo de Grizzly Peak fomos em direção ao Pixar Pier conferir a segunda atração mais desejada do parque: a Incredicoaster, montanha russa que junto com a roda gigante forma o cartão postal de Adventure Park.

Mas no caminho, bem no praça principal da Buena Vista Street, estava o Mickey todo fantasiado para o Halloween tirando fotos com o público. E tinha fila quase zero! Claro que não dava para deixar passar a foto mais importante de qualquer pessoa que vai à Disney!

Apesar de não termos ido com nenhum foco nos horários de encontro com personagens, achar um assim no caminho e desperdiçar é heresia. Sobretudo sendo o dono da casa =)



Os fotógrafos do parque naturalmente tiram fotos com câmera oficiais e distribuem cards para que você possa comprar as fotos depois, mas não se importam de repetir o clique com a sua câmera ou celular. E aí rolou um momento divertido quando o fotógrafo achou o máximo que bastava encontrar em qualquer parte da tela do celular e a foto estava garantida, hahaha...

Missão maior cumprida, seguimos nosso trajeto... E basta começar dizendo que a temática da montanha russa que era nosso destino são os Incríveis.. Agora imagine o resultado de simular uma montanha russa que tem na família o Flecha, a Mulher Elástico, uma Garota invisível, um bebê que fica gigante e um pai super poderoso?.... Com essa mistura na mão, a Incredicoaster já começa a aventura com um tremendo arranque à beira do píer, subidas, descidas, curvas rasantes e alta velocidade. E é uma de-lí-ci-a!!!! Repetimos quatro vezes ao longo do dia... Com pouco público e o fast pass, não dava nem dez minutos de espera a cada volta...



Depois demos uma voltinha no Pixar Pier, que é formado por outras atrações com foco infantil e muitos jogos típicos de parques de diversão do interior, daqueles que montam e desmontam a cada temporada: tiro ao alvo, roleta, etc. Mais uma referência clássica à Santa Mônica.

Como a fome estava forte, decidimos almoçar...


Paradise Gardens Park

Fomos comer ao lado da área de Meet & Greet com o Miguel de Coco (no Brasil, Viva – A Vida é uma Festa). Logicamente era uma cozinha mexicana, apesar do cardápio com ofertas da estação. Peguei o prato mais tradicional da casa, que basicamente era feijão, arroz e polenta com carne de porco na palha, que é super apetitoso e apimentado na medida. O Maurício, pra variar, deu azar com a pimenta, hahahaha...



De lá caminhamos até a sorveteria de Pixar Pier pegar o sorvete mais característico do parque – um parfait gelado, que é um soft de lima com um fundo de raspadinha azul, basicamente... Refrescante, mas muito doce no final... Fui até onde deu, mas não dei conta de todo aquele açúcar e arreguei quando virou um suco azul de água com açúcar.



Foi nesse momento que voltamos para Grizzly Peak para conferir o Soarin. E depois, de lá seguimos direto para a Hollywood Land.


Hollywood Land

Esta área traz uma homenagem direta à Hollywood e seus pontos turísticos, bem como a história do cinema na Califórnia. Tanto que boa parte das atrações são os cinemas e teatros da rua principal de Hollywood Land. Mickey e Frozen estão entre os mais concorridos.

Nós seguimos até o fim da área para ver a mais nova atração do parque: Guardians of the Galaxy – Mission: Breakout. O antigo elevador que tinha como temática o Aerosmith agora é todo decorado com os guardiões mais animados das galáxias. O problema era: é um elevador... Esse é o único brinquedo com o qual não me dou muito bem, e falo tendo experimentado!



Minha primeira (e única) experiência foi especial: Hollywood Tower lá em Orlando. Foi legal, eu admito, mas a sensação da queda livre na sensação vertical definitivamente não me cai bem... Se fosse de ponta cabeça eu iria sem pensa muito. Mas aquela experiência bastou para eu perceber que o lance não combina muito comigo. E olha que não sou dos medinhos de adrenalina!

Como o Maurício não queria ir, fiquei sem ter aquele empurrão básico que talvez me forçasse a tentar de novo.. Então admiramos do lado de fora mesmo e aproveitamos pra curtir Hollywood Land de um jeito mais light.

Continuamos o passeio e demos de cara com o trecho de Avengers, onde Capitão América, Thor e Homem Aranha se revezavam para fotos com o público... Pelo palco nas proximidades, rola algum show ou interação ali em determinado horário. E tem uma nova atração sendo construída naquele pedaço.

Atravessamos a área e vimos pouco à frente o Monsters, Inc. Mike & Sulley to the Rescue! E fomos lá curtir um brinquedo de criança para adultos que nunca crescem. É uma montanha encantada em que você passeia pela fábrica do Monstros SA e acompanha as peripécias do dia a dia difícil de trabalho de um monstro. Fofinho!

Saindo de lá resolvemos aproveitar o Hollywood Lounge, compramos uma cerveja e sentamos nas cadeiras em rente ao palco para relaxar um pouco (e dar uma folga aos calcanhares que estavam de matar).


De volta para Pixar Pier...

Voltamos para mais uma rodada na Incredicoaster e depois fomos conferir o Toy Story Midway Mania. Não tem como fugir do amor pelos brinquedos... E essa atração era parecida com a do Buzz na Disneyland. Passeio com cenários e alvos pra ver quem pontua mais. Eu ganhei de novo! Hahahaha.... E dessa vez garanti a prova:


Eu já estava querendo comer um churros há um tempo.. E esse era o momento, já que na frente do brinquedo tinha um carrinho... Comprei um churros vermelho picante, que basicamente é coberto por muita canela com corante vermelho, e por isso fica picante. MUITA canela (e talvez uma dosinha de pimenta junto). Mas é gostoso. Mesmo que tenha amortecido um tiquinho meu lábio, é gostoso mesmo, rs.




Paradise Gardens Park again...

Saímos de Pixar Pier e demos de cara pela quarta vez com a atração da Pequena Sereia. Eu, fã incondicional do desenho, já estava na vontade desde a primeira... rs.. Como sobrou tempo, fomos! É uma montanha encantada com vários trechos do filme em cenários perfeitos. Lindo, leve e encantador. Bom pra descansar, apesar de uma filinha mais ou menos.


De lá fomos arriscar a Goofy’s Sky School, montanha russa aparentemente super light e infantil do Pateta. E logo na primeira volta deu pra ver que era mais legal do que a gente imaginava! O problema é que o brinquedo parou antes da queda principal, hahaha... Deu algum BO lá e ficamos empacados nas alturas (literalmente) por algum tempo até nosso resgate chegar. Só podemos descer dos carrinhos acompanhados por um técnico. E essa foi inédita, porque até hoje eu nunca tinha descido de uma montanha russa a pé... rs



Por fim, resolvemos fechar o dia com Silly Simphonys Swing, que é um chapéu mexicano com as cadeiras voadoras ao som instrumental que embalava as aventuras dos três porquinhos e o lobo mau. Logo, o vento do logo é o que simula o voo das cadeiras... Pena que é curtinho demais.

Saímos de lá e fomos para a última volta na Incredicoaster....


World of Colors

Depois de completar todas as atrações legais do parque, resolvemos dar uma pausa pra comer. Foi aí que voltamos lá pra Cars Land pegar o mac&cheese cone e dar uma última espiada em Radiators Springs...


Mas como somos mortos de fome e não se pode ir embora de uma viagem com lombriga, depois fomos para Pixar Pier comprar uma Turkey Leg, que não poderia ficar de fora da viagem... Com a gigante na mão, fomos para o acesso à área para a qual tínhamos conseguido os passes para assistir World of Colors. Entramos, sentamos em um lugar bacana e ficamos comendo até não aguentar mais. Com a noite veio o frio, mas a gente sobrevive, né. Quando o espetáculo começou, ninguém mais lembrava do frio...



O World of Colors é uma apresentação que usa fontes de água e luzes para reproduzir em cortinas de água cenas clássicas dos filmes da Disney. É, de longe, o espetáculo mais bonito que você verá em qualquer um dos parques da Disney. Fiquei maravilhada... Nem um milhão de vídeos poderiam representar bem o que você confere ao vivo... A força das águas, a altura que alcançam, a perfeição dos vídeos reproduzidos nas cortinas de água.. Nada se compara à experiencia de conferir ao vivo. Deu até um nozinho na garganta em alguns momentos.. Vale muito a pena. Em termos de emoção, compara-se um pouco aos belíssimos espetáculos de águas e luzes em frente ao Bellagio, em Vegas (vamos falar dele também nos próximos posts).

Eu encontrei um vídeo em que você pode ver quase toda a sequencia da apresentação. Mas, de novo, não é nada comparado à experiência real. Só tente imaginar a proporção ao comparar a altura dos jatos de água com a montanha russa ao fundo para ter uma noção...



Findado o espetáculo, é hora de seguir a multidão em direção à saída.. O horário e o trajeto são os mesmos de ontem. Mas as dores no calcanhar são infinitamente maiores.. Eu comecei a desconfiar de uma fascite plantar, mas só teria certeza dela no dia seguinte.

De volta à Anaheim Plaza, motorhome a salvo e o merecido descanso na hora certa. No dia seguinte teríamos bastante estrada pela frente cruzando desertos à caminho de Vegas...






-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

ROTEIRO COMPLETO >> Para conferir o relato completo navegue pelo roteiro AQUI
FOTOS >> Para ver mais fotos espie os destaques no meu perfil do instagram: @leticiaspinardi